16 February 2019 04:02:58
Navegação
· Principal
· Artigos
· Notícias
· Fotografias
· Links
· Fórum
· Downloads
· Contacto
· Pesquisa
· Site 2001-2006
PUB
Últimos Artigos
· Aldeia Segura - Pess...
· O que uma brasileira...
· Isna recorda as caça...
· Um poeta sírio e par...
· Eleitor :: Perguntas...
· AMIANTO
· Aldeia portuguesa es...
· First Moon Landing 1969
· 1º Drone na Isna - J...
· Casamento Sandra e J...
I. Os nossos avós falavam assim. A Terra

I

articles: Os nosso avos.jpg
Os nossos avós falavam assim:

 

Selecção de palavras e expressões retiradas da

 

Etnografia da Beira

Volume VI, 2.ª edição, 1967

 

Autor: Jaime Lopes Dias

 

 

 

I  - A terra

 

a)  - A Natureza, fenómenos atmosféricos, astros, etc.

 

Alancado  - Caído

Avesseira  - Encosta da serra voltada a Norte

Carujér  - Chuviscar

Cruto  - Ponto mais alto da serra ou da árvore

Desvão  - Recanto

Gravanadas  - Saraivadas

Inverna  - Invernia

Lapacheiro  - Charco de água e lama

Peneirér  - Espalhar, esta noite a velha fartou - se de peneirér, dizem quando caem grandes geadas

Peste  - Raio por descarga eléctrica das trovoadas

Remanso  - Sítio onde a água está quase estagnada por acumulação de detritos

Viso  - Cume dos montes

 

b)  - Tempo, quantidades, medidas

 

Atulhédo  - Cheio ao máximo

Cabo  - Fim, ter o cabo  - ter o fim

Cagulo  - Cheio acima dos bordos

Dantes  - Antigamente, noutro tempo

Fundeiro  - o que está debaixo, no fundo de tudo

Lonjura  - Distância

Manhém  - Manhã

Maquia  - Percentagem que os proprietários pagam pela moagem de azeite ou de farinha

Meças  - Quero meças, quero confronto, comparação

Meguélho  - Pedaço

Moio  - Sessenta (60 alqueires de cereal)

Naboeiro  - Nevoeiro

Nem um  - Nenhum

Ontepassado  - O ano passado

Pecanino  - Pequenino

Póveia, paveia  - Montes de cereal ou mato que depois de juntos formam os molhos

Pintcho  - Salto

Quita  - Parte da renda que o senhorio perdoa ao arrendatário em ano mau

Redadeiro  - Derradeiro, último

Ror d’ anos  - Muitos anos

São Miguel  - Pró dia de S. Miguel, 29 de Setembro

Tuté - meia  - Por pouco dinheiro, barato

 

c) - Designação das terras

 

Alqueve  - Terra de sequeiro, ordinária, utilizada só para culturas de centeio ou trigo

Chão  - Pequena terra baixa que dá erva e milho

Courela  - Porção de terreno mais comprido do que largo, com mato

Sorte (de terra)  - Parcela ou parte que resultou de divisão de propriedade

Tapada  - Terreno murado com ou sem árvores

Testada  - Pequeno terreno com mato na extrema da terra de cultivo

Velga, leira  - Pequena porção de terreno demarcada por sulcos ou regos

 

2 - Flora 

  

a) - Plantas e frutos

 

Afilhada  - Castanha afilhada, a que está agarrada a outra maior

Almo - Álamo

Bagulho ou folhelho  - Massa e pedículos das uvas depois de extraído o vinho

Messado  - Sobreiro a que já foi tirada a cortiça

Betouro  - Planta de madeira muito rija de que fazem os viros para os cortiços das abelhas e para os tropeços de cortiça

Boleta  - Bolota dos sobreiros, lande

Borralheiras  - Mato que queimam para adubação das terras

Botelha  - Abóbora

Boulhas  - Bolhas ou tumores dos trocos dos sobreiros

Budle  - Embude, trovisco

Carrapiço  - Carvalho pequeno

Escardaço  - Engaço

Ferrã  - Centeio que se corta e seca antes de espigado para alimentação do gado

Linho galego  - O que é semeado em Outubro

Linho mourisco  - Que se semeia em Abril e é de qualidade inferior ao galego

Madronheiro  - Medronheiro

Maias  - Flor da giesta

Moreias  - Montes de mato

Novedédes  - Novidades

Ocado  - Vão, sem miolo

Olevél  - Olival

Piladas  - Castanhas secas

Torga  - Raíz de urze

Camalhões  - Montes de terra cavada

Frega  - Faina e tarefa

 

b) - Operações relacionadas com plantas

 

Arripinhar  - Colher a azeitona directamente para os cestos ou maquias

Colha  - Colheita da resina

Ogar - Auguar, regar com auguador, cabaço, lata ou concha

Rebusco - Foi ao rebusco

Safra ou frega - Período da colheita


O Autor:

Jaime Lopes Dias nasceu em Vale da Senhora da Póvoa (Penamacor) em 1900 e faleceu em Lisboa em 1977. Formado em Direito pela Universidade de Coimbra, trabalhou no Serviço Público, tendo desempenhado vários cargos: Notário em Idanha - a - Nova, administrador deste concelho, secretário - geral do Governo Civil de Castelo Branco, alto funcionário do Ministério do Interior, e, desde 1946 a 1960 (data da sua aposentação), director dos Serviços Centrais e Culturais da Câmara Municipal de Lisboa.

A sua Etnografia da Beira (em doze volumes, o primeiro publicado em 1926), continua a constituir trabalho de referência no conjunto da Literatura em Português consagrada ao tema.

 

 

Artigo enviado para edição por: JOÃO LAIA NASCIMENTO

Utilizadores Online
· Visitantes Online: 1

· Membros Online: 0

· Membros Registados: 75
· Último Membro: figueiredo
Entrar
Utilizador

Senha



Se esqueceu a sua senha?
Solicite uma nova aqui.
Pesquisa
Mural de Recados
Fazer login para enviar uma mensagem.

31/07/2018 15:43

05/01/2018 15:05
Oleiros: Isna recorda caçadas do Rei D. Carlos: http://www.reconq.
..i-d-carlos

25/07/2017 01:32
SmileVIVA A BANDALHEIRA TSF, Fernando Alves, http://www.tsf.pt.
..id=3544850

25/07/2017 01:28
INCÊNDIO - Auto Proteção http://www.tsf.pt.
..77624.html

28/03/2017 18:55

Tempo de processamento: 0.00 segundos 1,270,202 visitas únicas