16 February 2019 04:03:43
Navegação
· Principal
· Artigos
· Notícias
· Fotografias
· Links
· Fórum
· Downloads
· Contacto
· Pesquisa
· Site 2001-2006
PUB
Últimos Artigos
· Aldeia Segura - Pess...
· O que uma brasileira...
· Isna recorda as caça...
· Um poeta sírio e par...
· Eleitor :: Perguntas...
· AMIANTO
· Aldeia portuguesa es...
· First Moon Landing 1969
· 1º Drone na Isna - J...
· Casamento Sandra e J...
III. Os nossos avós falavam assim. O Homem

III

articles: Os nosso avos.jpg
Os nossos avós falavam assim:

 

Selecção de palavras e expressões retiradas da

 

Etnografia da Beira

Volume VI, 2.ª edição, 1967

 

Autor: Jaime Lopes Dias

 

 

 

III - O Homem

2 - a) - Doenças, feridas, etc.

 

Aguamento - Doença originada no facto de as crianças verem comer e não lhes ser oferecida comida

Apeado - Preso, peado

Bentas - Nascidas

Bexigas - Varíola

Desacroçoado - desanimado

Fanico - Desmaio

Gasgalheira - Papeira

Odioso - Melindroso, afeito a doenças

Pisadura - Nascida ou tumor que se forma na planta dos pés

Relouquer - Não pensar nem dizer com acerto

Treçolho - Nascida ou tumor que se forma nas pálpebras

Unheiro - Tumor ou nascida junto das unhas

Zarelho - Que não consegue estar quieto

 

b) - Qualidades, defeitos físicos e morais:

 

Acarcoujado - Dobrado, inclinado

Agarrado - Avarento

Arreganhado - Friorento, com frio

Assanhado - Embravecido

Atravessado - Arrevezado, torto

Cachopo - Rapazote

Cambulho - Estafermo, pessoa sem cotação

Desinquieto - Que não sossega

Fraldesqueiro - Ameninado, que anda a saber e a revelar segredos de mulheres

Lambão - Madraço, mandrião

Mal - mandado - Desobediente

Mimo - do - Caco Criança muito mimada

Mosca morta - Sonso

Pantomineiro - Trapalhão, intrujão

Rabuje - Coisa reles

Urca - Mulher que come muito, feia e gorda

Zoupeira - desavergonhada

 

3 - b) - Casamento

 

Anagalhar - Casar

Boda - Casamento, cortejo ou jantar de casamento

Esborralhar - se - Já se esborralhou, já de à luz

Famuge - Imensidade de filhos

 

d) - Relações sociais, saudações, cumprimentos

 

Amonado - Amuado, zangado         

Salvação - Saudar as pessoas

Vgita - Visita

 

4 - a) - Habitação, materiais, dependências

 

Aldrave - Argola de ferro ligada aos fechos das portas

Brotcho - Prego pequeno, rebite

Caboucos - Alicerces de edifícios ou construções

Caleada - Caiada

Casa terrêa  - Casa térrea

Currel - Curral

Dormente - Viga onde assenta o compartimento das mós nos moinhos

Forro - Sobrado ou sótão junto ao telhado das casas

Pelheira  - Vão por detrás da lareira, onde deitam a cinza

Escaleiras  - Escadas

 

b) - Utensílios de uso doméstico, iluminação, aquecimento

 

Alinterna - Lanterna, utensílio feito de lata com depósito para azeite, em que a luz é coada por vidros e serve para alumiar na rua e em sítio em que há perigo de incêndio

Asado - Cântaro, pote

Cangalhas - Armação de madeira ou ferro usada para transporte no dorso dos animais

Cantareira - Estante onde se põem os cântaros de água, pratos e metais

Coadouro - Pano de barrela usado para filtrar líquidos

Coucho - Recipiente de cortiça

Esbocelado - Prato ou vasilha a que falta um pedaço dos bordos

Manga - Chaminé de vidro dos candeeiros

Pálitos - Fósforos

Talha - Pote, cântaro

Tenélhas - Vasilhas do azeite

Unto - Banha de porco usada como remédio

 

5 - a) - Actividades agrícolas, industrias rurais, alfaias, utensílios e instalações

 

Aguadouro - Serve para regar ou ougar as hortas

Agulhêum - Pedra que nos moinhos suporta o rodízio

Aliviadouro - Aparelho dos moinhos, segura o erreiro e permite subir ou descer o rodízio

Alveira - Pedra dos moinhos para moer o trigo

Amanhar - Preparar

Apeaça - Peaça, correia que prende, pelos chifres, os bois ao jugo ou à canga

Atalhar - Lavrar a terra em sentido cruzado com a decrua

Balondra ou balonda - Roçadoura de folha estreita, usada para cortar fetos

Banzos - Degraus da escada por onde sobem às árvores

Barbilho - Verga torcida que metem na boca dos cabritos quando os querem desmamar

Barrela - Escaldão da roupa com água e cinza

Bornil - Chumaço onde assenta a canga no pescoço dos animais

Cabeçalha - O mesmo que chedeiro dos carros de bois

Derrontchar - Abrir, devastar

Calçada - Pequena parede ou suporte construída para segurar a terra nas barrocas e junto das árvores em terrenos declivosos

Cale - Peças de madeira ou de pedra por onde corre a água

Carvalheiros - Estacas ou empas usadas nas hortas

Escaramear - Separar ou desfazer os aglomerados de lã

Ferrada (o) - Recipiente de latão

Fole - Saco feito de pele de cabra

Furda - Recinto onde vivem ou se criam os porcos

Gavela - O que a mão do ceifeiro abarca

Laburdo - Pau com que os lagareiros movem o fuso da vara

Moedura - Porção de azeitona que de cada vez entra no moinho do lagar

Gravato - Utensílio metálico para guiar ou puxar madeira

Malhão - Marco, limite

Malho - Machado e Machada. A machada é mais pequena que o machado

Mercar - Comprar

Paviola ou Padiola - Instrumento que serve para acarretar pedra ou outros materiais

Pedoa - Com gume e peta tem aplicação quase idêntica à do malho

Penas - Pequenas tábua que formam o rodízio dos moinhos das ribeiras

Pernil - Canto dos sacos

Pojadouro - Tábua que suspende a acção da água sobre os rodízios dos moinhos Rolheiros - reunião de molhos de cereal no restolho ou na eira

Tendal - Pano com que cobrem o pão nos tabuleiros depois de amassado

Turgia - Utensílios da lavoura

Varredouro - Vassouro com que varrem o solo do forno

 

b) - Caça Pesca e seus utensílios

 

Aboiz - Armadilha para apanhar pássaros

Ceba - Isca nas ratoeiras

Pacheca - Nassa ou galrito, aparelho de pesca

Taramela - Aparelho para espantar pássaros

 

6 - Ofícios, profissões, actividades diversas

 

Carapinteiro - Carpinteiro

Ganhões - Criados da lavoura

Menageiro - Maioral, capataz

 

O Autor:

Jaime Lopes Dias nasceu em Vale da Senhora da Póvoa (Penamacor) em 1900 e faleceu em Lisboa em 1977. Formado em Direito pela Universidade de Coimbra, trabalhou no Serviço Público, tendo desempenhado vários cargos: Notário em Idanha - a - Nova, administrador deste concelho, secretário - geral do Governo Civil de Castelo Branco, alto funcionário do Ministério do Interior, e, desde 1946 a 1960 (data da sua aposentação), director dos Serviços Centrais e Culturais da Câmara Municipal de Lisboa.

A sua Etnografia da Beira (em doze volumes, o primeiro publicado em 1926), continua a constituir trabalho de referência no conjunto da Literatura em Português consagrada ao tema.

 

Artigo enviado para edição por: JOÃO LAIA NASCIMENTO

Utilizadores Online
· Visitantes Online: 1

· Membros Online: 0

· Membros Registados: 75
· Último Membro: figueiredo
Entrar
Utilizador

Senha



Se esqueceu a sua senha?
Solicite uma nova aqui.
Pesquisa
Mural de Recados
Fazer login para enviar uma mensagem.

31/07/2018 15:43

05/01/2018 15:05
Oleiros: Isna recorda caçadas do Rei D. Carlos: http://www.reconq.
..i-d-carlos

25/07/2017 01:32
SmileVIVA A BANDALHEIRA TSF, Fernando Alves, http://www.tsf.pt.
..id=3544850

25/07/2017 01:28
INCÊNDIO - Auto Proteção http://www.tsf.pt.
..77624.html

28/03/2017 18:55

Tempo de processamento: 0.00 segundos 1,270,207 visitas únicas